quinta-feira, 19 de julho de 2018

Trabalhador fica gravemente ferido em acidente de trabalho com disco de corte

Um homem está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital da Providência de Apucarana (PR) após sofrer um grave acidente de trabalho no final da tarde de quarta-feira (18). 
A vítima foi atingida por um disco de máquina que quebrou atingindo seu tórax. Disco de máquina é um equipamento usado para realizar cortes, em formato circular. 
De acordo com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) o objeto ficou entalado no abdome do homem. Ele foi encaminhado ao hospital onde precisou ser entubado e passou por cirurgia.
Ele segue internado na UTI da unidade e seu estado é considerado grave.


Em Portugal, edifícios e equipamentos com amianto de empresas privadas vão ser identificados

Em Portugal, os edifícios, instalações e equipamentos de empresas com amianto deverão ser identificados no período de um ano, com vista à remoção do produto cancerígeno, de acordo com um projeto de lei aprovado esta quarta-feira pelo parlamento.
No âmbito de uma maratona de votações os deputados aprovaram o texto final discutido e aprovado em sede de Comissão de Ambiente, Ordenamento do Território, Descentralização, Poder Local e Habitação, resultado de dois projetos de lei, um do partido ecologista Os Verdes (PEV) e outro do partido Pessoas, Animais, Natureza (PAN).
O texto aprovado estabelece procedimentos e objetivos para a remoção de produtos com fibras de amianto ainda presentes em edifícios, instalações ou equipamentos privados, incluindo empresas privadas e habitações.
O plano para a identificação das empresas será feito pela Autoridade para as Condições de Trabalho, em colaboração com organizações representativas dos trabalhadores e associações patronais, e deverá estar pronto no prazo de um ano após a entrada em vigor da lei (dois meses após publicação em Diário da República). A remoção dos produtos será feita conforme as regras de segurança já previstas na lei.

Johnson & Johnson diz que talco produzido no Brasil não contém amianto

A Johnson & Johnson informou, em nota, que os talcos vendidos no Brasil são produzidos localmente e não contêm amianto nem causam câncer de ovário. A empresa foi condenada nos Estados Unidos a pagar multa de US$ 4,69 bilhões a 22 mulheres que alegaram que, após o uso de talco da empresa, desenvolveram câncer.
Ainda segundo nota da empresa, não há nenhum processo na Justiça brasileira associado a este tema.
Da condenação de US$ 4,69 bilhões que sofreu nos Estados Unidos, a maior parte (US$ 4,14 bilhões) é de punição pela empresa não ter alertado sobre o risco da presença de amianto. Os US$ 550 milhões restantes são a título de compensação pelos danos.
Uma fibra mineral de amplo uso comercial, o amianto está proibido em grande parte do mundo desde o fim dos anos 1990 por sua toxicidade e por ser potencialmente cancerígeno.
Segundo especialistas, as minas das quais é extraído o mineral do talco — a esteatita ou esteatite — costumam ter a presença associada de amianto, por isso o risco de contaminação. O talco é usado em diferentes produtos, como maquiagem e até na indústria alimentícia.

terça-feira, 17 de julho de 2018

Fórum Mineiro de Combate aos Agrotóxicos inicia atividades na Fundacentro

O Fórum Mineiro de Combate aos Agrotóxicos - FMCA iniciou seus trabalhos no último mês. Na solenidade de instalação, houve a assinatura do regimento interno e da ata de instalação. Em seguida, ocorreu a eleição de Érico da Gama Torres, chefe da Fundacentro/MG, como coordenador, e da procuradora do MPT – 3ª Região, Elaine Nassif, como vice-coordenadora. O vídeo do evento está disponível no YouTube do Observatório de Uso de Agrotóxicos de Minas Gerais.
A ideia do Fórum é ser um espaço permanente e aberto para o debate de questões relacionadas aos impactos dos agrotóxicos na saúde do trabalhador, do consumidor e no meio ambiente, considerando os princípios da agroecologia e justiça social. O objetivo é construir ações concretas contra os prejuízos causados por esses produtos, numa perspectiva de desenvolvimento sustentável.
A solenidade de instalação do FMCA ocorreu em 8 de junho na Fundacentro/MG, que sediará o Fórum, e foi seguida da primeira reunião ordinária. Haverá reuniões bimestrais em que os membros darão sugestões de políticas, ações e metas para o Plano Anual a ser aprovado no Encontro Anual a ser realizado em 5 de abril de 2019. As reuniões foram agendadas para 2 de agosto, 5 de outubro e 7 de dezembro deste ano e para 1° de fevereiro de 2019.

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Prevenção de acidentes de trabalho na construção civil

Segurança em obra é um elemento de muita importância - mas que, muitas vezes, passa desapercebida, inclusive pelo cliente, que nem sequer imagina que pode ser responsabilizado se o pedreiro, por exemplo, se acidentar. Outra questão para a qual quase ninguém atenta, é quanto à informalidade da relação empregatícia, e ainda ao que pode acontecer com a obra, se alguns cuidados não forem tomados. 
Afinal, numa obra, de quem é a responsabilidade? Para explicar essa questão - enfatizando a importância do acompanhamento por um profissional capacitado -, ouvimos Cláudio Roberto Pereira e James Roberto da Silva, respectivamente diretor e coordenador técnico da Sete QS, empresa que presta consultoria em segurança do trabalho nas áreas de construção civil e industrial. 
Segundo eles, existem, na construção civil, 36 Normas Regulamentadoras (NR) que, ao longo do tempo, vão sendo atualizadas. Parte dessas normas, como a NR-35, que regulamenta o trabalho realizado acima de dois metros de altura, infelizmente só surgem após registros de acidentes. Com a tese de que "o que mais mata é a ausência de informação", Cláudio Pereira diz que o maior problema está na informalidade, com mão de obra nem sempre devidamente treinada, além da falsa ideia de que um engenheiro ou arquiteto são indispensáveis apenas em obras grandes. 
James da Silva lembra que, no dia a dia, é muito comum nos depararmos com profissionais autônomos, como pedreiros e pintores, que fecham acordos de trabalhos verbalmente ou por contrato informal. Mas ele atenta que a legislação existe independente da forma como o acordo é fechado e que, dependendo da situação, em caso de acidente não adiantará o cliente alegar falta de conhecimento. 

Explosão de caldeira deixa dois mortos e quatro feridos em Taquara (RS)

Duas pessoas morreram na manhã desta segunda-feira (16) na explosão de uma caldeira em um frigorífico localizado na cidade de Taquara (RS), no Vale do Paranhana, a cerca de 80 quilômetros de Porto Alegre.
Conforme informações do Corpo de Bombeiros, outras quatro pessoas ficaram feridas e foram atendidas. Inicialmente foi divulgado que seriam cinco feridos, mas a informação foi corrigida pela corporação durante a manhã.
De acordo com os agentes que atenderam a ocorrência, as duas vítimas estavam próximas da caldeira no momento da explosão, e foram arremessadas por mais de 20 metros.
As duas mortes foram confirmadas pela Polícia Civil, onde a ocorrência ainda está sendo registrada. Quatro ficaram levemente feridos. Três deles foram levados para o Hospital Bom Jesus, em Taquara, onde foram atendidos e liberados.
O acidente aconteceu no frigorífico que fica no mesmo local onde funciona uma fábrica de embutidos. O local foi isolado para o trabalho da perícia.

Ajudante morre em acidente de trabalho dentro de empresa de Nova Odessa (SP)

Um homem de 58 anos morreu enquanto trabalhava em uma empresa de tecelagem que fica no Jardim Eneides Industrial, em Nova Odessa (SP). A informação apurada é de que ele operava uma máquina de triturar recicláveis quando foi atingido.
O ajudante morreu às 8h deste sábado,(14), segundo a Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP). 
O representante da empresa, um advogado de 59 anos, compareceu na delegacia para informar que a vítima estava em seu turno de trabalho, no setor de reciclagem, durante o processo de limpeza de uma das máquinas, quando foi atingido.
O caso foi registrado e é investigado na delegacia de Nova Odessa. A Polícia Civil solicitou perícia no local e exame necroscópico à vítima.