quarta-feira, 13 de junho de 2018

Justiça condena Eternit a pagar R$ 450 mil de indenização à família de ex-trabalhador

A Justiça do Trabalho do Rio condenou a Eternit a pagar R$ 450 mil de indenização à família do ex-funcionário José Teresio Teixeira, que trabalhou 27 anos na fábrica de telhas de amianto, fibra considerada cancerígena pela Organização Mundial de Saúde. É uma das maiores indenizações individuais dadas até hoje. Teixeira morreu de câncer de pulmão em agosto do ano passado, antes do fim do processo. Segundo o advogado Leonardo Amarante, que entrou com ação em 2016, além da indenização, a juíza Mariane Bastos Scorsato, da 31ª Vara do Trabalho, anulou acordo feito entre o trabalhador e a Eternit, de 2003, que indenizou o trabalhador em R$ 15 mil, com a garantia que ele não entraria na Justiça para cobrar mais direitos. Cabe recurso contra a decisão.
""Essa indenização, além da compensação para os parentes, tem função punitiva. As empresas sabiam do risco, poderiam ter diminuído o risco de exposição e informado melhor os funcionários. Talvez tivesse minorado o sofrimento dessas pessoas", afirmou Amarante.


Nenhum comentário:

Postar um comentário