terça-feira, 15 de maio de 2018

Empresária é denunciada por manter doméstica como escrava no Rio

Uma empresária foi denunciada pelo Ministério Público Federal (MPF) por submeter a empregada doméstica de onde morava, em Copacabana, na Zona Sul do Rio, a um trabalho análogo ao de escravo. A Justiça diz que a vítima chegou a ser mantida trancada dentro da área de serviço por uma semana, sem comida.
Os casos ocorreram no período entre dezembro de 2010 e fevereiro de 2011. Quando a trabalhadora adoeceu, a empresária considerou que se ela não conseguia trabalhar, também não deveria receber salário ou se alimentar. 
A MPF informou que a doméstica, e outra empregada que também trabalhava no apartamento, eram vítimas constantes de xingamentos e abusos psicológicos. A proprietária da casa dizia, por exemplo, que teria que passar álcool no sofá caso elas se sentassem. Testemunhas que fazem parte da denúncia alegam que a doméstica era  submetida a jornadas de trabalho ilegais, de 7h até meia-noite, sem folgas.
A empregada doméstica se mudou junto com a empresária para o Rio de Janeiro. Antes, as duas moravam em Brasília. 
O MPF também acusa a mulher por fazer ameaças, dizendo que qualquer criminoso no Rio bateria na vítima por R$ 50 ou tiraria sua vida por R$ 100.
O Ministério Público denunciou o caso em 2014 e a Justiça do Rio declinou a denúncia para a Justiça Federal. Em abril de 2018, o caso foi então remetido ao Ministério Público Federal, que fez uma nova acusação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário