segunda-feira, 21 de maio de 2018

Barreiras mentais impedem a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho

A observação foi feita pelo especialista Stefan Tromel do Setor de Igualdade de Oportunidades da Organização Internacional do Trabalho (OIT), referindo-se às dificuldades para que ações efetivas promovam a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho.
De acordo com o especialista, alguns instrumentos que incluem a pessoa com deficiência no mercado de trabalho, como por exemplo, a Lei de Cotas para o Trabalho de Pessoas com Deficiência, a Agenda 2030 da ONU e a Convenção 159 (promulgada em maio de 1991) foram capazes de mudar a percepção da sociedade para com as pessoas com deficiência, mas ainda persistem as barreiras mentais. “Mais de 60 países possuem sistemas de cotas que ajudam na integração, mas isso não muda necessariamente a mentalidade das empresas”, destacou o especialista.
Uma das formas apontadas por Tromel para a mudança de mentalidade social e empresarial seria a realização de campanhas públicas, aprofundamento da temática sobre inclusão no sistema educacional e de saúde e ainda, mais efetividade nas inspeções no trabalho.

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Evento: "Gestão de segurança e saúde de trabalhadoras gestantes e lactantes em serviços de saúde"

Objetivo:
Discutir a aplicação das recomendações legais (CLT e NR32) e o impacto da Lei 13.287/2016 na gestão da segurança e saúde de trabalhadoras gestantes e lactantes em serviços de saúde, considerando os riscos para a trabalhadora, para o concepto e para o lactente, apontando medidas eficazes de proteção.

Público-alvo:
Médicos, Enfermeiros do Trabalho, Técnicos de Segurança do Trabalho; Profissionais de Serviços de Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT) privados e públicos; prestadores de serviço em Segurança e Saúde no Trabalho;Gestores de estabelecimentos de serviços de saúde; advogados;auditores fiscais e profissionais da área da saúde.

Data: 22 de maio de 2018 – das 8h30 às 12h
Local: Auditório da Fundacentro
Rua Capote Valente, 710 – Pinheiros – São Paulo – SP

Inscrições através do link: https://goo.gl/forms/hvggG2BOa32IRekE3

Veja folder do evento:
 http://www.fundacentro.gov.br/Arquivos/sis/EventoPortal/AnexoConteudoProgramatico/FOLDER%2022-05.pdf


Fonte: http://www.fundacentro.gov.br/cursos-e-eventos/detalhe-do-evento/2018/5/gestao-de-seguranca-e-saude-de-trabalhadoras-gestantes-e-lactantes-em-servicos-de-saude

Palestra sobre SST é ministrada na Penitenciária Modulada de Montenegro do Rio Grande do Sul

Nesta semana, a pesquisadora Maria Muccillo da Fundacentro do Rio Grande do Sul, esteve na Penitenciária Modulada de Montenegro do Rio Grande do Sul para palestrar sobre “Segurança e Saúde no Trabalho”.
O objetivo da palestra baseou-se no reconhecimento da importância da Comissão Interna de Segurança e Saúde do Servidor Penitenciário (Cissspen), na obtenção de critérios para desenvolver Plano de Ação com o desencadeamento de melhoria contínua da segurança e saúde no trabalho (SST) para agentes penitenciários.
Fazendo parte do Programa de Valorização e Atenção à Saúde Física e Mental dos Servidores Públicos do Estado do Rio Grande do Sul, essa iniciativa vem sendo realizada desde 2013, quando a Fundacentro/RS em parceria com o Serviço Penitenciário do Rio Grande do Sul (Susepe/RS), realiza cursos de segurança e saúde no trabalho (SST).
Desde o inicio das discussões, as duas instituições preocupam-se com a saúde e segurança dos profissionais, principalmente nos fatores que desencadeiam estresse no ambiente de trabalho dos presídios de Porto Alegre.

Fundacentro/MG lança Observatório sobre uso de agrotóxicos

A Procuradoria Regional do Trabalho da 3ª Região e a Fundacentro/MG promoveram em Belo Horizonte a audiência pública “Agrotóxicos, suicídios e doenças ocupacionais” para discutir o uso desses venenos e seus impactos à saúde humana. Na ocasião, também foi lançada a plataforma digital “Observatório do uso de agrotóxicos em Minas Gerais e da agroecologia”, apresentada pelo chefe da regional, Erico Torres. O evento fez parte das atividades voltadas ao Movimento Abril Verde.
A ideia de criação do Observatório surgiu no Seminário Produção Agrícola, Ecossistemas e Saúde do (a) Trabalhador(a), realizado pela Fundacentro/MG em junho do ano passado. O objetivo é articular uma rede de instituições e interessados comprometidos com a proteção do meio ambiente e a saúde dos trabalhadores da agroindústria, possibilitando o acompanhamento do uso de agrotóxicos e seus danos à saúde e ao meio ambiente.
No site, é possível acessar notícias, artigos, dossiês, vídeos, apresentações e outros links relacionados com o tema do Observatório. Entre os parceiros, estão Ministério Público do Trabalho-MPT, Instituto Mineiro de Agropecuária – IMA, Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais – Emater-MG, Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais – Epamig, Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG, Ministério Público do Estado de Minas Gerais, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa e Instituto de Ciências Biológicas da UFMG.

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Atendimento a vítimas de acidentes com material biológico deve ser nas UPAs

O Centro de Referência Estadual em Saúde do Trabalhador (Cerest) promoveu, nesta quarta-feira (16), um seminário que tratou do primeiro atendimento a vítimas de acidentes com exposição a materiais biológicos. O evento foi realizado na sede do órgão, no Conjunto Santo Eduardo, em Maceió.
Participaram do seminário, médicos, enfermeiros e farmacêuticos que atuam nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) de Alagoas. Segundo a supervisora do Cerest, Gardênia Santana, a iniciativa teve como propósito ajustar o atendimento e, com isso, por em prática a descentralização dos atendimentos a vítimas de acidentes com material biológico.
“O atendimento a vítimas de acidentes com esses materiais acontece no Hospital Escola Hélvio Alto. No entanto, com a descentralização, os pacientes e profissionais expostos ganham em agilidade, que nesses casos é essencial”, explicou Gardênia Santana.

terça-feira, 15 de maio de 2018

Ciclo de palestras sobre segurança e saúde no trabalho do Distrito Federal

Em 2018, a Fundacentro no Distrito Federal promoverá um ciclo de palestras, com o objetivo de apresentar e discutir temas, conceitos e soluções relacionados à gestão em segurança e saúde no trabalho, propiciando aos participantes novas ideias e reflexões que contribuam para a melhoria das condições de trabalho.
A primeira palestra ocorrerá no dia 21 de maio, às 10h, no auditório da Fundacentro-DF. O palestrante Órion Sávio Santos de Oliveira é analista técnico de políticas sociais da Previdência Social e abordará o tema “E-Social na Segurança e Saúde no Trabalho”.

Cartilha: “Proteção contra Choques Elétricos em Canteiros de Obras”

Em 2018, a Fundacentro do Distrito Federal irá realizar uma campanha direcionada aos profissionais da indústria da construção, com o objetivo de difundir informações sobre proteção contra choques elétricos nos canteiros de obras e, consequentemente, reduzir os acidentes com eletricidade.
As ações serão voltadas para apresentar e discutir conceitos básicos sobre gestão de riscos em eletricidade, compartilhar inovações que contribuam para a melhoria dos ambientes de trabalho, bem como discutir tendências e desafios relacionados à proteção contra choques elétricos na atualidade, com foco no desenvolvimento de uma cultura de prevenção.
Como parte dessa Campanha, a Fundacentro publicou a cartilha “Proteção contra Choques Elétricos em Canteiros de Obras”, de autoria dos servidores Maurício José Viana (Fundacentro-PE) e Swylmar dos Santos Ferreira (Fundacentro-DF). A cartilha está disponível para download gratuitamente no site da Fundacentro.


Faça download da cartilha em: